sexta-feira, 20 de novembro de 2015

do fundo

Quem eu sou? Que tipo de monstro transformei meu corpo e minha alma? Se foram atos legítimos... porque existe culpa? Quantos anos serão necessários para abafar tanta coisa? Da depressão aos transtornos alimentares, dos transtornos alimentares à depressão. Dos fatos demoníacos... ao perdão concedido. Ate quando a cabeça aguenta antes de paralisar? Ha quem desejo conquistar com tanta falta de congruência? Não, não desejo palavras de quem nunca chegou perto da minha dor... minha alma já foi perdida.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

I loved yesterday
today not
this love went from
red to black.

Sara com Cafe.

com palavras e cafe

não pensei que a mensagem que chegou em mim foi com a intenção de duplo sentido. acreditei naquelas palavras com toda preocupação e sinceridade que ela transmitia, mesmo que outras pessoas tenham pensando o contrario. não questionei/julguei qualquer ciume ou instabilidade que pudesse ser apresentado, esses sentimentos também pertencem ao meu corpo; como poderia julgar outra pessoa que os sentem também? alem das palavras já escritas para você, o real delas:

acredito fielmente que a impulsividade pode nos libertar, porem reconheço que devemos olhar para nossos limites. todos temos demônios, você não precisa sentir culpa por que o outro pensa que não estas fazendo o que supostamente deverias fazer…
talvez aquela pessoa que bate no peito, afirmando que tomaria uma atitude diferente da sua, tenha passado por muitas instabilidades antes de chegar nessa ~plenitude~, talvez… o ~eu faria diferente~ não seja tao real assim.
querida, acredite em você. 

Com amor e afeto,
Sara Com Cafe.