quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

eu gostaria de acreditar em cada frase sua. considerar que toda besteira que passa na minha cabeça possa sumir na mesma proporção que vai aparecendo. eu pensei que o problema era comigo... pela quantidade de culpa, mas a culpa a cada dia vai diminuindo, e eu juro que estou tentando. o vazio continua, a indecisão continua, o desespero fica aqui consumindo - batendo na porta. eu tento, imploro para os demônios irem embora, mas eles insistem em bater na mesma tecla.