sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

descobertas #parte2

Eu sempre acreditei nos limites, nos instintos. Para todos os fatores da minha vida, eu achava que quando chegasse no limite, ia existir alguma prova. Não foi muito diferente, na maioria das vezes apareceram.

Depois de muita luta, comecei os últimos seis mês do ano com muitas dificuldades. Sair do Brasil e começar uma nova vida, não foi nada fácil; embora eu conhecesse o percurso. Tiveram momentos que pensei em desistir, tive medo de onde estava, olhei várias vezes quanto pagaria por antecipar o voo, escrevi várias vezes para mim mesma, tomei café de uma forma louca. Porém, paralelo, a tudo isso, eu estava lendo textos e livros que a maioria estava de acordo com meus pensamentos desde muito tempo - e encontrar-los foi o céu. Apesar de tantos problemas, eu estava gostando de discutir e aprender. E deixar o confortável lugar de aprendiz foi ficando em segundo plano.

Mudei de casa, tentei criar um lar. Tentei ser forte e coloquei uma capa de super herói que somente demorou algumas semanas. Desarrumei o lar e fui descobrindo um mundo que até então era quase desconhecido. Eu precisava mudar, e o semestre era a prova de fogo. Obviamente ninguém tem obrigação com ninguém e o mundo de flores era uma tremenda aparência.

Para completar o pacote, vou descobrindo que muito longe de onde estou, meu nome era citado da pior forma possível... Ao ponto de uma pessoa soltar indiretas nas redes sociais e me apagar de todos os lugares depois. Minha vontade era mandar aqueles emails desagradáveis, mas achei melhor ficar em silêncio e achar que não foi comigo. Afinal de contas, nada iria mudar mesmo.

A saudade da minha cidade foi apertando, fui querendo um abraço verdadeiro, participei de lindos momentos sem saber se era real, aproveitei até onde podia. Reconheci os velhos amigos, troquei boas mensagens com outros e o semestre foi caminhando.

Academicamente e profissionalmente me sinto bem posicionado e com a vida cheia de possibilidades. Em algum momento tive medo de não conseguir alcançar os objetivos que foram colocados pra mim, e tiveram momentos que pensei em desistir, mas felizmente fui forte o suficiente para continuar.

A vida segue.. E para finalizar o semestre estou realizando uma linda viagem no centro e no sul do país que estou. Poderia aproveitar mais, porém reconheço meus limites e os motivos.

Finalizo o ano com a sensação de incompreensão. Durante 12 meses em vários momentos fui mal interpretada, e confesso que ainda dói. Chega um momento que já não podemos decidir pelo outro, cada quem deve se fazer responsável pela sua vida. E por essas e outras que também vou perdendo a fé no ser humano.

Que pelo menos 2017 traga algo de positivo para o mundo político... Eu já sofri demais com a vitória de Trump e a saída de Dilma. Eu não alcanço mais algo pior. E espero que não haja!

Como afirma Gabriela Mistral: la humanidad es todavía algo que hay que humanizar....

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

tentativas

em setembro de 2014 foi o período que mais me senti feliz por mais tempo. eu tinha acabado um relacionamento depois de muito desgaste, estava finalizando a faculdade e estava certa que de alguma forma ia sair da casa dos meus pais. mas a vida foi seguindo e tudo foi mudando. e desarrumando.

eu sabia, de alguma forma, que aquela felicidade era impossível de sustentar.

lembrei disso depois de analisar minha vida atual. honestamente estou bem. estou num período da minha vida que deveria me sentir extremamente confiante, contente e segura. atualmente estou numa boa fase. de uma forma geral.

porém, não me sinto feliz durante semanas seguidas, muito pelo contrário. dois, três, quatro dias... e tudo fica difícil outra vez. não me sinto fechando ciclos, me sinto emocionalmente desgastada, me sinto cansada. mas estou seguindo todo figurino.

quando passei no mestrado e fui comemorar com uns amigos, uma grande amiga me dizia "pronta?" e eu dizia "me sinto entrando nesse ciclo heteronormativo e estou com medo". e vez ou outra ela me manda uma mensagem para saber como vai tudo.

outra grande amiga, horas antes de que eu pegasse o voo, me enviou várias mensagens para perguntar se eu realmente estava segura do que estava fazendo. mensagens tão honesta que ignorei em primeiro momento. óbvio, com minha família não foi diferente. todos me perguntavam o mesmo.

eu não sei o que o mundo reserva. mas se tenho certeza de algo, é que: EU ESTOU TENTANDO.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

meu corpo: meu lugar para chamar de lar (recorrido por 2016) #parte1

dezembro de 2015 foi um mês terrível, janeiro somente transmitiu o que já estava acontecendo. em dezembro voltei para o Brasil (depois de um semestre interessante e uma bonita viagem no final!) e não tinha mais nenhum lugar para chamar de lar, janeiro fui acolhida pelas minhas tias da forma mais carinhosa e amável que a situação permitia.

estava incomodada com infinitos silêncios estabelecidos, falta de compromisso, apego, respeito e empatia. Mudei de estado com a cara e com a coragem. A suposta mudança virou uma "volta ao passado" que eu já não estava disponível. Um mês depois estava fazendo as malas para casa da minha tia outra vez.

Lidei com a realidade crua e sair desse lugar virou objetivo. Porém tentei infinitas vezes fazer conexão com os cabos que ainda restavam. Passou um, dois, três meses... eu já estava sufocada com tanta indecisão, falta de empatia e desrespeito. Pensei muitas vezes em pegar os cabos para tirar minha própria vida. Psicóloga, psiquiatra e remédios eram apenas questão de tempo.

entre consultórios, derrotas, insonia e solidão, ainda conseguia pensar num projeto de investigação, sair para tomar coca cola - esporadicamente - com xs amigxs (obrigadx xs que ficaram!) e pensar no "amanhã".

um dia antes do meu aniversário recebi a notícia que passei no mestrado fora do país. iniciei a luta por mim mesma, já que tinha esperado meses por alguma resposta que me fizesse ficar. nada apareceu nem com o resultado de despedida.

12 de julho deixei o Brasil. deixei para tentar me encontrar e estudar sobre um tema que tanto sou apaixonada. além de tudo, fui descobrindo o significado do amor e da distancia, da lealdade e da vontade de ficar juntos.

"Sonho que é sonhado junto, vira realidade" e talvez esse seja o maior problema das relações: o ser humano é egoísta demais para sonhar junto com o outro.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Arnaldo Antunes - "Longe"





Nenhum email chegou
Nem o correio virá
E eu entre quatro paredes sem porta
ou janela pro tempo passar

Dizem que a vida é assim
Cinco sentidos em mim
Dentro de um corpo fechado
no vácuo de um quarto no espaço sem fim

Aonde está você?
Por que é que você foi?
Não quero te esquecer
Mas já fiquei tão longe
Longe...

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

relações e afins... precisamos falar sobre elas.


sob a perspectiva de uma apaixona com os pés nos chão, vou tentar expor algumas ideias sobre as relações amorosas a partir das minhas experiencias. segura na cadeira que vamos começar.

pois bem, aqui estou outra vez nessa posição de acreditar no amor e suas consequências. mas os pensamentos ainda aparecem. não que tudo seja muito perfeito, mas é impossível viver nesse mundo sem questionar nada. e sem escutar nada!

nos últimos tempos tenho escutado diversas histórias terríveis sobre o carácter humano. terríveis. ao nível foda mesmo. histórias sobre machos que traem e enganam suas companheiras da forma absurda, e a coisa fica mais pesada quando o machismo entra no meio.

por exemplo, um cara que acha que sua mulher não pode ter relações com outros caras mas ele pode "sair por aí" para aproveitar a vida. nesse nível pra pior. ou que beija a AMIGA da namorada como se não tivesse problema nenhum e no dia seguinte convive com as duas na sala da SUA CASA. e ops, a namorada não sabe de nada!

ou mais, um cara que chama uma mulher para dormir na casa dele... para estudar... com intenções veladas sobre suas muitas intenções, mas o detalhe é que ele tem... ops, uma ESPOSA! "só chamei para estudar, só foram mensagens bobas, sem importância, nem ia acontecer mesmo" 

é minha gente, o mundo é uma loucura tipo fodaaaa.

eu não sou nenhuma santa. mas também não sou uma cínica do krallho. como todos no mundo já traí e já fui traída, mas é incrível como eu ainda consigo me surpreender como as histórias. e eu fico muito felizmente de nunca ficar apática por casos desse tipo!

se sentir segunda opção da vida de uma pessoa que você pensava em construir a vida não é um gosto nada saboroso, e por isso nos últimos tempos eu tenho estado COM MUITO PÉ NO CHÃO nesse sentido. por isso eu só entro em relações monogâmicas onde a pessoa deixe muito clara sua intenção. nada de amor livre, nada de poliamor, nada de relação aberta, nada de pessoas que escondem seus sentimentos. to cansada de entrar em relações com pessoas que são mais perdidas no mundo que eu!!!!

MAS 
as pessoas são cínicas, e...
se vocês soubesse a quantidade de gente que já escutei a mesma "ladinha", as pessoas iram sentir vergonha de falar AS MESMAS COISAS pra mim. e possivelmente devem falar pra todo mundo, existem algumas clássicas que pqp...

- Você é a mulher da minha vida
- Eu nunca senti ciúme antes
- Eu sou um homem diferente dos outros

gente, sério, mudem o discurso. toda vez que um cara chega dizendo isso, já sei que vem merda. nem existe o questionamento, é batata! vem merda.

e algumas vezes as pessoas pensam que a gente não tem esse lindo radar chamado "intuição". então por isso eu digo... colega, se a intuição baterem em vocês, podem ficar com a pulga atrás da orelha e buscar!!!! 

"Nada em mim foi covarde, nem mesmo as desistências: desistir, ainda que não pareça, foi meu grande gesto de coragem." MEU MAIOR GESTO DE CORAGEM.

Obrigada querida eu!

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

vai uma fruta ai?

estou numa viagem acadêmica. convite da professora. com mais uns três ~gatos pingados~ do mestrado. tudo indo bem, outra cidade, praia, maravilhoso e perfeito até que na madrugada de ontem eu acordei vomitando horrores. vomitei AO LADO DA CAMA e no outro lado estava minha companheira de quarto. isso aconteceu às 2:30 da manhã e fomos dormir, tão loucas, com aquele cheiro insuportável porque a gente teria que acordar suppper cedo para atividade do outro dia.

gravidez? infecção estomacal? ou uma lata de cerveja que tomei na noite anterior?

espero que seja gravidez, deus me livre ficar passando mal por uma lata de cerveja.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

oi, bom dia.


Não é necessário nenhum esforço extraordinário para compreender a gordofobia; a própria palavra sugere um acentuado desconforto e sentimento de repulsa contra pessoas gordas. Tal postura é tão enraizada em nossa cultura que a maioria das pessoas imediatamente remete pensamentos gordofóbicos às mais variadas imagens e situações: por exemplo, acham inaceitável uma mulher gorda vestir roupas justas ou frequentar a praia de biquíni; sentem desprezo por um homem obeso que come prazerosamente na praça de alimentação do shopping. Há um vasto leque de imagens negativas que demonstram como pessoas gordas são percebidas na sociedade, quase sempre representadas como desagradáveis e repulsivas.

(...)

A maior quantidade de gordura não significa necessariamente menos saúde; há até mesmo pesquisas atuais que sugerem o efeito contrário em algumas situações (leia aqui, em inglês). É importante observar que sedentarismo e má alimentação não estão necessariamente associados à obesidade, havendo uma infinidade de pessoas gordas ativas e saudáveis, além de pessoas magras com a saúde potencialmente debilitada por diversos fatores. Além disso, muitas pessoas não percebem a falta de coerência quando dizem se preocupar com a saúde alheia, a começar pelo fato de que não existe um medidor universal de saúde. Há infinitas dificuldades médicas que uma pessoa pode enfrentar e não existe fórmula mágica pra calcular com exatidão a “quantidade”, ou mesmo a “qualidade” da saúde de alguém. Enquanto manter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos pode ser uma boa medida para prevenir ataques cardíacos, humilhar uma pessoa não vai atenuar em nada sua saúde psicológica ou emocional. O único modo de verificar a saúde de alguém é realizando exames extensivos e tendo os resultados avaliados por alguém profissional, que deverá dizer onde exatamente a saúde está falhando. Não se pode concluir o estilo de vida de uma pessoa baseando-se unicamente no seu corpo, ou mesmo deduzir que esse seja uma representação da sua saúde ou qualidade de vida.

Fonte - Gordofobia uma assunto sério. por Jarid Arraes

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

mãe


Talvez se você tivesse ao meu lado, eu tivesse plena naquela relação. Talvez, se a gente tivesse conversado sobre o assunto, eu tivesse outras ideias no momento. Talvez... Eu precisei de você quando meus velhos sonhos escaparam dos meus dedos. Se você tivesse me aconselhando, talvez tivesse funcionado. Afinal, não é esse o papel das mães?

Não foi você que me perguntou se era uma mulher quando conversamos? Se não fosse para você... para quem eu iria contar? Posso contar nos dedos às vezes que te encontrei no ultimo ano, e isso é deprimente. Ainda não entendo sua necessidade de se abastar de mim... e nem entendo quando você me liga dizendo que sente saudade.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

terça-feira, 4 de outubro de 2016

mais um dia

compreender o Outro nunca foi e nunca será fácil. passei quase toda minha vida acreditando que eu era sensível o suficiente para me aproximar das pessoas. nos últimos tempos precisei compreender o Outro a partir do silencio. compreender é muito forte... nos últimos tempos eu precisei aceitar as atitudes do Outro a partir do silencio.

não existia nenhuma explicação aceitável para que eu não tivesse acesso aos pensamentso e aos comportamentos do Outro. e passei esse processo em ambito familiar e amoroso ao mesmo tempo. decepção, até o momento, descreve 2015 e 2016. 

eu ainda não consigo acreditar como tudo foi jogado no lixo com tanta facilidade. ainda não consigo chegar perto de qualquer explicação sensata, lógica, coerente. ainda me custa muito pensar nas atitudes, nos últimos encontros. me custa trabalho refletir sobre como tudo aconteceu, como as conversas foram ignoradas.

eu só lamento que todas as minhas palavras de amor e afeto foram jogadas no lixo, seja familiar ou amorosa, o futuro virou um monte de areia, o mundo ficou pelo meio do caminho. a inseguraça tornou-se um porto seguro. e constante.



até algumas semanas me via questionando as atitudes dos Outros mais ferrozmente, me via inquiata, triste. mas o tempo vai passando e eu percebi que o que menos quero nesse momento é uma explicação, pois sei que nenhuma explicação irá me deixar mais tranquila e nenhuma explicação me fará perceber de uma forma diferente da que já fui construindo ao longo dos meses. egoísmo e falta de empatia é o máximo de lógico que consigo pensar.

atualmente tenho todos os elementos possíveis para ficar feliz. eu poderia fazer uma lista imensa de todos os motivos... mas há dias, como o de hoje, que a tristeza exala. e eu começo a refletir sobre os pessoas, minha relação com elas e suas atitudes.

mais uma vez... esperando dias melhores.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Recife

saudade. saudade. saudade do café na Boa Vista, da cerveja no mercado, do filme no Plaza, no Rosa e Silva, na fundação. saudade das esquinas, da Aurora, da rua da Moeda, da chuva. da estação Macaxeira, saudade da Av Norte, da 17 de agosto, da Av Caxangá, saudade. saudade da mensagem "passo por voce que horas?".

saudade das arvorés, das ruas, do tempo e do vento. saudade do som, do grito, do bom e velho portugués. 

saudade das pessoas. saudades.

saudades do encontro, da palavra, do abraço. saudades da família, dos amigos, do meu bem querer, saudade de um cangote, de um toque. saudade de quando eu achava que entendia o idioma do olhar. saudade de quando eu supostamente entendia o significado de amar.





Eu corro, fujo desta sombra
Em sonho, vejo este passado
E na parede do meu quarto
Ainda está o seu retrato

Não quero ver pra não lembrar
Pensei até em me mudar
Lugar qualquer que não exista
O pensamento em você

E eu
Gostava tanto de você
Gostava tanto de você


Não sei por que você se foi
Quantas saudades eu senti
E de tristezas vou viver
E aquele adeus não pude dar


quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Odeio os indiferentes

Odeio os indiferentes. Acredito que  “viver significa tomar partido”.  Não podem existir os apenas homens, estranhos à cidade. Quem verdadeiramente vive não pode deixar de ser cidadão, e partidário. Indiferença é abulia, parasitismo, covardia, não é vida. Por isso odeio os indiferentes. A indiferença é o peso morto da história.

(...)

Pero nadie o muy pocos culpan a su propia indiferencia, a su escepticismo, a no haber ofrecido sus manos y su actividad a los grupos de ciudadanos que, precisamente para evitar ese mal, combatían, proponiéndose procurar un bien.

(....)

Odeio os indiferentes também, porque me provocam tédio as suas lamúrias de eternos inocentes. Peço contas a todos eles pela maneira como cumpriram a tarefa que a vida lhes impôs e impõe quotidianamente, do que fizeram e sobretudo do que não fizeram. E sinto que posso ser inexorável, que não devo desperdiçar a minha compaixão, que não posso repartir com eles as minhas lágrimas. Sou militante, estou vivo, sinto nas consciências viris dos que estão comigo pulsar a atividade da cidade futura que estamos a construir.

Gramsci, Antonio (1917) “Paso del saber al comprender al sentir y viceversa...”, en Cuadernos de la cárcel. Tomo II. México, Biblioteca Era. pág. 164.

sábado, 10 de setembro de 2016

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Você

não percebe mas tuas atitudes continuam me afetando. Estou vivendo um jogo de imagens esperando que você se recupere - da depressão, da tristeza, da vida. Eu deveria ser mais sensível aos teus sentimentos mas honestamente já não aguento mais. "Conversamos em algumas semanas, alguns meses" como se eu tivesse estômago para viver tanto silêncio até lá. O que mais me encantava na nossa relação eram nossas conversas, nossa vontade de organizar as coisas... e hoje você ignora meu pedido para conversar como se fosse a coisa mais normal do mundo. Você ignora os fatos, os tempos, os dados. Você ignora minha dor diária como se fosse possível construir uma relação baseada em pedidos de silêncio. E a esperança de um filho. Estou te entregando meus dias com medo de viver o maior arrependimento da minha vida... por fraqueza, por falta de coragem. Por você, por um amor supostamente já vivido.


quarta-feira, 31 de agosto de 2016

resistência




“A Luta não tem hora para acabar. Não acaba hoje. A luta é para uma vida inteira” Dilma Rousseff

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

poesia minha

voce é mais poesia que mulher, sempre foi.
voce é o eixo certo, a falta de um beijo completo

claro que nosso encontro mais maravilhoso não poderia ser distante da poesia
estava com medo mas deveria ter encarado um beijo sabor cigarro e coca cola
enquanto as letras entrassem na minha alma

menina,
voce é mais poesia que mulher

voce é a palavra que preciso,
o "manda ela se fuder e fica comigo"
no meio dos meus conflitos

voce é a dança das cadeiras em música lenta,
o som de Nação Zumbi no meio do deserto,
voce é o baile de Johnny Hooker
e até a nova versão de Cangote.

"por isso você é o lugar pra onde sempre vou e fico!"

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Fala - Secos & Molhados (Cena do filme "A História da Eternidade")





Eu não sei dizer
Nada por dizer
Então eu escuto
Se você disser 
Tudo o que quiser
Então eu escuto
Fala 
lá, lá, lá, lá, lá, lá. lá, lá, lá 

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Dread Mar I - Qué Hago Yo







No me hables de injusticia
si te fuiste sin aviso
y que hago yo?
(...)
y ahora que regresas tu pretendes que este juego continúe y digo no!
(...)
si cuando te estaba amando
tu te estabas alejando
y que hago yo?

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Meu querido amigo,

Eu sei que nesse momento não existem palavras. Que nada nem ninguém pode descrever o que você passa.
Ninguém nunca terá noção que tem um grupo gigante tentando te tirar desse lugar. Consulado Brasileiro, Mexicano, advogados, ong, amigos, companheiros. Todos estávamos mobilizados para que você saia o mais rápido por isso. E que tudo seja uma grande piada que vamos rir depois.
Peço imensas desculpas pois foi eu também que te convidei para "viver México". Peço desculpas pelo México te acolher dessa forma repugnante.
Querido, a culpa não é nossa que eles não acreditam que um brasileiro pode ir visitar uma cidade de fronteira. A culpa não é nossa que eles não apostam e acreditam na sua própria cidade!!!!
Vamos continuar lutando. E em breve vamos pra casa.

"Sonho que é sonhado junto, vira realidade"

Com afeto,
Sara.

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Livre #filme

Se a coragem te faltar, vá além da sua coragem. 

Eis algumas perguntas que tenho feito a mim mesma: e se me perdoasse? E se me arrependesse? Mas, se eu pudesse voltar atras, não faria nada de forma diferente. E se todas as coisas que fiz foram as coisas que me trouxeram ate aqui?

E se eu quisesse dormir com cada um daqueles homens? E se a heroína me ensinou algo? E se eu nunca me redimisse? E se eu já tivesse redimida?

Levei anos para ser a mulher que minha mãe criou. Levei 4 anos, 7 meses e 3 dias para fazer isso. Sem ela. Depois que me perdi na selvageria do meu luto, encontrei o caminho para fora da floresta. Eu não sabia para onde ia ate chegar no ultimo dia da trilha. Obrigada, eu pensei.

(...)

Minha vida, como todas as vidas: misteriosa, irrevogável e sagrada.

trecho do filme "Livre".

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Cansaço

           O aplicativo do celular mostrava 42 graus. Eu precisava sair de casa para falar com o coordenador do curso e fazer uma solicitação de ingresso no mestrado, que só era possível fazer na rede da universidade. Meio dia e eu estava contando as moedas para sair de casa, felizmente tinha o suficiente. "Apenas algumas quadras, economizo dinheiro e vou conhecendo a redondeza" pensei, "afinal de contas, tenho minha garrafinha de água, nada vai acontecer".
           Não sei exatamente quanto tempo caminhei, talvez 15, 20 ou 25 minutos, não mais que isso. Não estava cansada, mas na reta final minhas pernas começaram a doer. Entrei na universidade, no ar-condicionado, e achei que minha cabeça ia explodir. Dor, dor, dor. Tomei água, sentei um pouco e fui melhorando. Preenchi a solicitação de ingresso e busquei meu coordenador; ele não estava. Obviamente seria impossível voltar para casa no estado que eu estava, então peguei minhas coisas e fui para biblioteca.
           Sentei, liguei o notebook e comecei a sentir dores e ficar tonta.
           Enquanto escrevo tudo ainda roda, enquanto escrevo, na biblioteca, sinto uma dor terrível nas costas, embaixo da coluna. Vontade de chorar, gritar.
           Não, não tenho dinheiro para pegar um táxi, não, não posso sacar o dinheiro que tenho no banco, as taxas são monstruosas e possivelmente precisarei economizar cada centavo até a bolsa do mestrado sair. Mas eu não posso reclamar, estou fora do meu país, fazendo um curso de pós-graduação e em breve começarei a receber dinheiro... Não posso reclamar.

sábado, 30 de julho de 2016


conversando com uma mexicana que namora um colombiano... a conclusão que tivemos foi: todos erramos. não existe pessoa perfeita. uns cometem mais erros. outros menos. mas todos erramos.

fiquei triste e pensativa.
lembrei dos meus erros, dos meus acertos, das minhas paixões. das minhas vontades. das minhas relações.

muita coisa mudou ao longo do tempo, e fui amadurecendo com os erros.
mas mesmo assim ainda me sinto instável e insegura.
ainda me sinto com histórias que passaram e eu ainda não digerir tudo.

eu sei que nenhuma relação tem culpa da anterior,
mas é impossível esquecer de uma antiga relação que a pessoa saiu da tua vida sem aviso prévio, que te falava coisas boas num dia e no outro simplesmente sumia.

ou que pelo menos te fazia acreditar que tudo ia ficar bem.

que amor se sustenta com tanto vazio?

obviamente tenho muito medo de voltar para uma relação nesse estado.

às vezes penso que recuperei a fé nas pessoas, mas quando lembro das péssimas experiencias que tive... me vejo ansiosa e triste.

tenho vontade de tentar resolver outra vez,
tentar compreender o motivo de tantos erros, o motivo de tanta indiferença, tanto silencio.

para que a pessoa vá e eu não fique com uma grande incógnita na minha cabeça.

mas sei que nada adiantaria um contato para resolução...
pois tem gente que insiste no mesmo erro.

o foda é que sou sentimento demais
mas ainda tenho fé que o tempo vai resolver tudo.

e eu vou conseguir me entregar para alguém de forma extremamente completa, sem medo.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Cazuza - Exagerado




Paixão cruel, desenfreada
Te trago mil rosas roubadas
Pra desculpar minhas mentiras
Minhas mancadas

(...)

Que por você eu largo tudo
Carreira, dinheiro, canudo
Até nas coisas mais banais
Pra mim é tudo ou nunca mais

domingo, 24 de julho de 2016


Quintana Roo, Cancún. México.*


Tudo bem que cada pessoa sente de uma forma diferente. Mas eu não posso ser julgada por transbordar sentimentos.


*foto pessoal. todos os direitos reservados.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

julho, 2016

seis anos e seis meses. obrigado.

nesse tempo todo você foi meu amigo, meu amante, meu namorado, meu marido, meu ex marido, meu ex namorado, meu companheiro. meu sonho de consumo! meu confidente.

você nunca deixou de ficar presente, nunca esteve distante. e sempre que tentávamos, era como se o mundo tivesse desabando para a gente. para mim e para você. voltávamos o contato e tudo fazia sentido outra vez.

você sempre foi honesto, leal, nunca teve medo dos próprios sentimentos. sempre encontrava até coisa boa nas minhas falhas... você é a pessoa mais positiva que conheço no mundo! - e isso é extremamente lindo. obrigado por confiar em mim!

hoje eu tenho certeza que mudo todos os meus planos e objetivos para que a gente fique juntos. afinal, eu já mudei e mudo sempre que necessário. e sei que você faz o mesmo por mim todo o tempo. sabe o que é.... nada tem sentido sem você.

o que adianta ficar semanas na Terra do Tio Sam se você não vai ficar metade do tempo zoando os gringos comigo? O que adianta ir para Cancún se não vamos buscar as zonas mais populares para tomar cerveja mais barata? O que adianta pensar num intercambio na Europa se não vamos viver juntos la? O que adianta cruzar os EUA de ônibus ate chegar no Canada se não vamos ficar rindo da nossa loucura? O que adianta ficar seis meses ou no Acre ou em São Paulo ou no Rio de Janeiro se não vou montar uma casa ao teu lado?

não foi simples de admitir, mas quando resolvemos ficar juntos, sabíamos que tínhamos que fazer os nossos mundos, em um único mundo. um mundo comum para os dois. e eu gosto da nossas construções, das nossas adaptações.

eu adoro como a gente vive a vida. adoro. simplesmente adoro. adoro quando você sumi que toda sua vida cabe em uma mala de 23 quilos por mais que isso assuste algumas vezes. adoro nossa contenção de moeda, adoro quando você reclama do preço do leite, mas não do vinho. adoro como você aperta minha bunda, toca no meu cabelo, morde o bico do meu peito. adoro. simplesmente adoro.

acho meio brega quando você diz "e ai, quem do fã clube entrou em contato hoje? pelas minhas contas são 5, já tem mais que demonstrou interesse em tu?" mesmo sabendo que não consigo olhar para outra pessoa no mundo. mesmo sabendo que todo meu desejo, afeto e amor é exclusivamente teu. acho que você só pergunta isso para ouvir minha longa gargalhada.

maaaaaaaaaas

sabemos que quem tem um fã clube deslavado é você. MEU DEUS!!!! vou nem começar que o sangue já começa a ferver... rummmmmmm!!!!

eu já não consigo dizer se o que sentimos - e vivemos - é obsessão, amor, desejo, carência. eu só sei dizer que você é a única pessoa no mundo que se encaixa perfeitamente em mim. você me torna vida.

nem de longe nossa relação é perfeita, mas existe muito amor, afeto e carinho, e isso basta.

meu amor, obrigado por mais um 21.

domingo, 17 de julho de 2016

mãe

há dias que são mais fácies, outros mais dificies. há dias que acredito no amor das pessoas, outros que me sinto desperdiçando tempo. por mais que eu tente, não me sinto segura. por mais que tentem, eu não me sinto completamente acolhida.

eu sei que sou a única responsável pelas escolhas feitas, tenho 24 anos e grande o suficiente para saber o que me faz bem ou não. mas a vida, a consciência e o mundo não é uma linha simples de ser compreendida. sou um ser humana que sente todo o tempo, que chora, que deseja, que espera acolhimento.

sou um ser humano pulsante.

hoje o dia é difícil, estou há quase 10.000 mil quilômetros de distancia da minha família, e 4 horas de fuso horário. números que na prática do dia dia, dizem muito. acordei quase das 4 da manhã e liguei para minha mãe ainda antes de sair da cama, falar com ela me deixa bem. ela é a única pessoa no mundo que renova as forças que não consigo mais produzir sozinha.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

âncora

Eu não tenho mais medo do futuro. Você é minha cidade, minha família, meu porto seguro. Você é minha saudade, meu presente. Você é minha âncora, meu amor, meu benzinho. Você é tudo que eu poderia querer na vida.

A vida não é só flores, e nesse jardim que é a nossa, eu te encontro da forma mais acolhedora possível. Obrigado por confiar em mim, obrigado por acreditar no nosso amor e na nossa conexão. Obrigado por ser esse cara com ideias comunistas, com poucos amigos e que escuta Malu Magalhães algumas vezes por mês. Você é completo para mim.

Tenho orgulho de você, das suas vitórias e dessa linda capacidade de encontrar o melhor das coisas. Com você já não me sinto perdida.

Obrigado por abraçar minhas ideias, cultivar meus planos, acreditar na minha capacidade emocional e espiritual. Obrigado por escolher nós todos dias.

sábado, 9 de julho de 2016

Caetano Veloso - Elegia






"Deixa que minha mão errante adentre atrás, na frente
Em cima, em baixo, entre
Minha América, minha terra à vista
Reino de paz se um homem só a conquista
Minha mina preciosa, meu império
Feliz de quem penetre o teu mistério"

quinta-feira, 7 de julho de 2016

remar

eu já não sei como falar,
explicar,
escrever, desenhar ou poemizar

eu só sei que te amo
e sei que gosto mais ainda da sensação de me apaixonar todo dia por você.

esse re-amar é delicioso.

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Estou cansada, irritada, esgotada.


Estou irritada. Irritada com minha cidade, o calor, seus movimentos sociais sem critica e das pessoas que reproduzem atos sem pensar. Estou irritada com essa gente pseudo-cult que acha que participar de um suposto movimento o torna mais incrível que outras pessoas. Estou irritada de encontros e conversas sobre sociedade, mas não existe uma percepção profunda sobre o assunto, MAS muito preconceito  - e ainda são pitados da pele negra e o cabelo black DA MODA.

Estou cansada de gente que acha que faz algo pela cidade, mas só faz para inflar o próprio ego (E GANHAR DINHEIRO!). Estou cansada de conhecer gente que veste a fantasia e ACHA ser bonito, inteligente e ligados com os movimentos sociais... mas é somente mais um ser humano comum mundo. (Se você faz algo pela comunidade, tu não faz mais que tua obrigação. Deixa de pensar que é uma salvadora da pátria E ASSUME TEUS PRIVILÉGIOS PORRA!!!)

Estou cansada da mídia suja e dessa gente reprodutora de conceitos errados (PELO AMOR DE DEUS, parem de romantizar as prisões por conta da série "Orange Is The New Black", as ações sociais da Rede Globo e das mulheres que mostram os peitos para fingirem terem direitos MAS só ficam sem roupa por alguns minutos de atuações artísticas. VAMOS assumir que nossa sociedade necessita de dialogo E DEIXEM DE VIVER NO MUNDO IDEAL COMO SE FOSSE REAL!!!)



Estou cansada dessa gente que eu tento ajudar academicamente, mas ficam todos parados esperando um milagre chegar. (Eu não faço milagre e NÃO posso caminhar por você, se essa é tua vontade, LEVANTA a bunda da cadeira e vai a luta... se não queres, PARE de me encher o caso!!!!)

ESTOU CANSADA de conhecer gente que não entende que tudo tem ligação com LUTA DE CLASSE e vem falar de movimentos sociais que a burguesia já tomou conta. 

Estou CANSADA de conhecer homossexuais e lésbicas QUE não tem critica do seu próprio movimento, tem um preconceito da porra com bissexuais e ainda vem falar que "pau" é nojento E ME PERGUNTAM COMO UMA MULHER TREPA COM UM CARA!!!!

PAREM DE DIZER QUE HOMEM É NOJENTO, PELO AMOR DE DEUS!!!!


Estou cansada, irritada, esgotada.

sábado, 2 de julho de 2016

azul




Sabe,
Você ainda precisa amadurecer bastante
Para a gente pensar em construir alguma coisa
Mas eu sei que ainda estou imatura demais para te oferecer um abrigo seguro

Sei lá,
A gente vai caminhando
E se protegendo da chuva...

Afinal:
sonho que é sonhado junto,
vira realidade.

quinta-feira, 30 de junho de 2016

O silêncio é a melhor forma de dizer: "eu desisti de ti!"

(...)


       Sou incapaz de ser novamente aquele alguém que tu conheceste e por quem te apaixonaste. Muita coisa mudou para mim, para nós. Eu já não estou mais tolerante, muito menos paciente. A idade vai passando e, tudo que eu quero, é uma pessoa que me assuma. Que bata no peito, que enfrente o que for preciso, que me apoie e que permaneça sempre comigo. Eu não sei lidar com imparcialidade. Eu não sou assim. Tu estás a falar com alguém que apanhou muito, com feridas incuráveis. Talvez, hoje, tu não entendas o que é entregar-se de corpo e alma, mas eu tentei mostrar de todas as formas. Desenhei, fiz mimica, escrevi e quase cantei para chamar tua atenção e te fazer perceber que eu já estava distante demais dos teus sonhos egoístas. Se tu não consegues interpretar o significado da palavra reciprocidade, não faz sentido o meu desgaste em tentar te mostrar. Amanhã eu tenho a certeza que tu vais aprender. Mas será tarde demais, eu já estarei longe do teu alcance. 

       Eu não te encontro mais na minha prospecção de felicidade. Não idealizo, não fantasio e não insisto. Talvez tu culpes a vida, ou a mim, por não ter dado certo. Mas eu continuo a afirmar que, quem não cuida, não merece ter. Se eu realmente fosse tua, como tu dizias, tu farias qualquer coisa por mim. Mas não, manter-se na comodidade e na mesmice dos teus atos sempre foi e sempre será mais conveniente para ti. A única diferença, é que eu não estou mais disposta a aceitar que tudo seja do teu jeito. As tuas palavras já não tem mais valor, promessas são apenas promessas.


       O meu silêncio para ti, traduz tudo que eu insistia em reafirmar e que agora já não faz mais sentido. A partir de agora guardarei minha saliva para o que realmente for necessário ser dito. Eu tenho aceitado, aos poucos, ficar sem ti. Mas tu, como sempre, entretido a valorizar terceiros, estás a deixar passar tudo despercebido. Quando caíres em ti e olhares para a frente, eu já estarei bem atrás.


       Como alguém que fez de tudo para ser notado e que agora tornou-se teu passado.
(....)


Texto de Jéssica Pellegrini, em "silêncio é a melhor forma de dizer: 'eu desisti de ti!'"

segunda-feira, 27 de junho de 2016

tua visita me faz florescer




- Você anda tomando todos esses remédios?

- Eu preciso, ainda não consigo lidar
- Quando isso vai acabar, Sara?

(Silêncio)

- Eu só quero você bem, minha filha
- Eu também
- Queres voltar para casa? Posso falar com tua irmã, a gente pode cuidar de você
- Não, só iria trazer mais problema. Eu vou encontrar um caminho, é questão de tempo.

domingo, 26 de junho de 2016

Uber: o outro lado


Conversando sobre Uber durante os últimos dias, tirei algumas conclusões. Para formar minha percepção sobre esse meio de transporte, busquei mais informações da empresa e encontrei essa mensagem na sua página da rede social Facebook.

Filipe Teixeira Poxa, minha esposa pegou um serviço de transporte desse, esqueceu um objeto no carro,.. e acabamos de descobrir, que não tem a possibilidade de reaver o objeto pois a empresa, não consegue realizar uma simples ligação para o motorista supostamente registrado... essa mensagem estará sendo colada em todas as redes sociais, Uber nunca mais!!!! Só amarelinho!!! O barato sai caro!!!!

Fiquei mais assustada do que estava. COMO A UBER NÃO CONSEGUE ENTRAR EM CONTATO COM O MOTORISTA QUE SUPOSTAMENTE DEVERIA TER UM CADASTRO DETALHADO NA EMPRESA?

Nunca usei a Uber por um simples motivo: medo. Eu não consigo me imaginar, ainda, entrando num carro sozinha que não tem nenhuma identificação, e supostamente uma empresa, de aplicativo, me disse que posso confiar. Eu vivo no Brasil onde violência corre solta, queridos.

Longe de mim ficar defendendo taxista comum (já passei por cada uma...), mas pelo menos eles são legalizados, tem um sindicato, passam por vistorias do Estado, pagam altas taxas para manter o táxi e por conta disso o preço é mais caro. Tudo é cobrado! Então eu consigo compreender, até o momento, que eu estou pagando por uma segurança minima, onde eu não consigo encontrar num carro particular que qualquer cidadão pode começar ser motorista e que na visão do Estado vive na clandestinidade.

A Uber é a ideia de serviço de carros particulares de uma empresa Norte Americana que foi tomando conta do mundo todo. Estamos falando de uma empresa dos Estados Unidos da America, aquela mesma da Maçã Cinza. E seu capitalismo na veia. Ok, ok... parei.

Estamos falando de uma empresa que vista o lucro (Uber) e um espaço que foi historicamente sendo construído (o táxi comum). Pra mim, honestamente, facilmente essa empresa irá deixar passar várias falhas desse suposto motorista para ganhar mais dinheiro. E o táxi comum é o Estado que "toma conta". E o Estado, para quem não lembra, presta serviço para o cidadão e sua segurança.

Não tenho carro e pego, normalmente, táxi comum por um simples motivo: chegar num local em segurança, e sabemos que esse "luxo" da segurança é uma fortuna! (sdds México). Sou uma mulher cisgenera vivendo numa das cidades mais violentas do meu país - e eu ainda saiu na rua, todos os dias, com medo de ser mais uma vitima do feminicio, então eu busco todos os meios que me deixe mais segura. E infelizmente eu preciso pagar mais caro por isso.

Até o prezado momento ninguém conseguiu me convencer que pagar 30% mais barato na corrida (ou 50% sei lá!), com esse contexto que detalhei, valesse mais a pena que colocar meu corpo em risco.

Meu querido,

Um ano que já não estás com a gente. Lembro de você mais vezes do que gostaria, é inevitável. Possivelmente você ficaria louco com os últimos acontecimentos na minha vida, bem, com a parte acadêmica não, mas com o resto com certeza. 

Te confesso: gostaria de ouvir teus conselhos, gostaria de ser cuidada por você. Gostaria de ficar junto. Gostaria de te ouvir dizendo que eu sou jovem demais para sofrer por gente que não vale nada. "Beijar na boca e namorar é maravilhoso. Aproveite bastante, depois você pensa em compromisso" não era assim que você me dizia?

Meu querido,
O Carnaval, lá por fevereiro, foi difícil de viver, as ladeiras de Olinda só chamavam você e meu peito te pedia proteção. Te lembrei todo o tempo...

Meu querido,
Outro dia fui na igreja que celebramos a missa de sétimo dia, desculpa, não conseguia conter as lágrimas... chorei como louca pensando em você e desejando que Deus te tenha acolhido com toda ternura do mundo.

Um ano passou e muita coisa rolou.
Saudade. "Te echo de menos".

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Quem quer, arruma um jeito. Quem não quer, arruma uma desculpa.

Quem quer não adia, aparece. Quem quer te ver agora, não vai deixar pra amanhã, mesmo que a distância seja incalculável ou já seja tarde pra isso. Quem quer, não deixa pra depois o que pode ser feito agora. Quem quer ficar, fica sem que a gente precise implorar. Quem quer cuidar, simplesmente cuida. Quem quer, provavelmente não vai suportar a saudade, não vai poupar sentimento e entrega pra te ter.  

Quem quer, arruma um jeito. Quem sente vontade, faz saudade virar encontro, faz cinema virar motel, faz o cansaço virar amasso, faz dias frios mais quentes. Quem quer, é capaz de viajar 100 quilômetros só pra te ver, e não interessa se o tempo fechou tão rápido, quem quer não vai pensar duas vezes em te ver hoje ou deixar pra próxima semana. Quem quer, não vive de conversas, não perde tempo, não arruma mil e uma desculpas pra justificar que não vai dar pra te ver hoje porque o dia foi cansativo demais.

Quem tem saudade do teu sorriso não se contenta só em ouvir a tua voz pelo celular, quem quer estar com você sentirá necessidade de te ver pra conversar sobre como foi o seu dia, sobre todas as coisas que te fez perder a cabeça e vai entender que é melhor te abraçar nos momentos mais difíceis do que te mandar um ''fica bem'' por mensagem. Quem quer te fazer bem, vai bater na tua porta com chocolates que comprou no meio do caminho pra tua casa e cervejas - é que o dinheiro era pouco e o vinho era caro. Quem quer realmente te ver, não esperará por um feriado ou por dias melhores que não tenham provas, nem muito trabalho pra fazer.


Quem quer te ver, não vai se lamentar, vai vestir a roupa mais próxima e sair com sorriso mais sincero ao teu encontro. Quem quer, não vai reservar um tempinho pra você ou um horário fixo pra te ver, vai te reservar a vida e vai te ensinar que quando a gente ama, a gente não mede esforços, a gente não quer o outro pra preencher aquele espaço que sobra na cama ou aquele tempo vago nos finais de semana. Quando a gente quer,  a gente aceita o outro pra somar na vida, pra abrigar e torna-se abrigo, pra unir dois mundos.

Quem quer ficar, vai fechar os olhos em teu peito e permitir, sem medo, acordar só noutro dia. Quem quer, vai fazer corpo mole pra não levantar da cama e não sair da tua vida, vai roubar tuas manhãs, vai jogar os braços por cima de você e quando você perguntar se a posição da tua cabeça tá doendo nele, ele vai te responder que não. Quem quer ficar na tua vida, não pensará duas vezes antes de entrar. Ficará pro café da manhã e se possível pro jantar, é que o gosto do teu beijo vicia e ele seria burro em não prová-los ao máximo.

Quem quer ficar, vai encostar a cabeça em teu ombro e vai te deixar descobrir todos os medos e segredos, erros e defeitos, vai apertar a tua mão pra tentar te dizer algo em silêncio, e vai se despedir de você sem te tirar nada, te permitindo a liberdade e te deixando com aquela sensação de querer viver tudo e mais um pouco ao lado dela. Quem quer você, tem vontade de te repetir, de tomar todos os gostos com teu sabor, de provar todas as aventuras com você sem te dizer que precisa pensar, sem te dizer: ''hoje não dá'', ''deixa pra amanhã'', ''não tô a fim''.  Porque quem quer, arruma um jeito. Quem não quer, arruma uma desculpa.

texto de Iandê Albuquerque em Quem quer, arruma um jeito. Quem não quer, arruma uma desculpa.