quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Pedaços pesados de medo atrapalham através do tempo Os amores que um dia preencheram hoje nada cabe. Oscilar entre o corretor memorável ao acesso perverso. Passos largos para fugir, mas na fuga é encurralada por teias.

Ela tentou, mas o abraço oferecido foi de tentáculos de água viva. Doíam mais que qualquer outra coisa, porém era reconfortante. E doía. A dor saborosa com prazer, mas não esquecida que era dor. Ela não tinha tempo. O tempo corria ao seu lado... ela tentava, mas não podia.