sábado, 20 de fevereiro de 2016

"ela é do seu padrão"

o amor romantizado é realmente muito bonito. cultivamos ele desde criança, nas novelas, nos filmes, nos livros. e a maioria vai crescendo com a ilusão que cada um ~cer-umano~ tem sua alma gêmea. vai encontrar aquela pessoa perfeita, que combina nos mínimos detalhes, que o sexo é fantástico, os encontros são maravilhosos. e claro, já existe um padrão pré estabelecido para alma gêmea que vai chegar. seja pelo porte físico, na condição financeira, no status educacional. a partir de questões sociais cada pessoa vai construir como sera ~a alma gêmea~. isso mesmo, construir.

pois bem, é nesse contexto que questiono que tipo de amor é esse que dizemos sentir. sera que é amor ou a condição do outro nos faz sentir esse tal amor?

eu sempre busco a congruência do amor pleno, amar sem questionar. mas infelizmente as outras pessoas não. e olhe, é duro. uma vez questionei a pessoa que estava comigo "e se eu fosse um homem" e obviamente a resposta foi direta "eu não iria querer você!". claro que não iria querer a mim, eu, como mulher, estava no seu padrão, eu me comporto como mulher feminina, na roupa, no corpo, no jeito de falar. e ali, naquele momento, eu fui reduzida ao corpo que pode ser exibido socialmente. e um corpo que pode "ser amado".

o padrão aprisionada. e é terrível saber que a gente somente é amado pelo outro por que se encaixa no padrão dele. não existe o ser humano, as ideias, os sonhos, as vontades, os desejos... você é descartado/não amado, se você não for coerente com o padrão do outro.

que tipo de amor é esse?
é por amor, ou por status?

Nenhum comentário:

Postar um comentário