quarta-feira, 11 de maio de 2016

mãe,

eu continuei. e continuou com o fio de esperança em minhas mãos. como se eu fosse capaz de segura-lo sozinha por toda eternidade. existem pingos de afeto do outro lado, como se eu não precisasse de mais. mas eu preciso. eu realmente preciso.

eu tento demonstrar de infintas formas, com presença, com escrita, com ligações, com solicitações de encontro. nada é aceito ou retribuído. um "eu te amo" num momento de pressão é dito, mas no concreto nada acontece.

será que você não percebeu, mãe, que abdiquei todos esses meses por você? para continuar respirando o ar da mesma cidade... para a gente morar perto e você não ter essa maldita desculpa que estou longe!? o que você faz com isso? joga no lixo!

mãe, além de você eu preciso quebrar outro ciclo também. isso se tornou tão doentio que me vejo vaga no mundo esperando respostas que não aparecem. e a gente sabe que a resposta para nossas vidas não precisam ser dada pelos outros, mas por a gente mesmo. todavia, mãe, eu me tornei essa pessoa que depende dos outros e não consegue fechar ciclos. essa pessoa que deixa o canal aberto simplesmente por não saber lidar. simplesmente por continuar segurando esse maldito fio de esperança!

eu me tornei uma mulher de 23 anos que já não sabe caminhar sozinha, você percebe o absurdo disso?

você não soube, mas eu me tornei uma pessoa perdida. frágil e que tem medo do amanhã. mãe, eu sei que não preciso de ninguém, apenas de mim mesma para guiar meu futuro, porém, nesse momento, estou em pedaços. e tentando respirar sem ajuda de aparelhos. mas vai se tornando extremamente difícil com o passar dos dias.

eu não tenho intensão de te culpar pelo monte de entulho que coloquei na minha vida... mas estou tentando compreender como consigo me livrar dele. e o primeiro ciclo que ainda não fechei foi o nosso.

eu te amo profundamente. e desejo muito que um dia a gente compreenda tudo que anda acontecendo.

mãe, eu realmente gostaria que você estivesse ao meu lado nesse momento, pelo menos para tomar uma xícara de café comigo e dizer que eu consigo construir meu destino sozinha, sem esperar decisões de ninguém.

10 comentários:

  1. Que todo o entulho saia da tua vida.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda-blogspot.pt

    ResponderExcluir
  2. Que voce consiga resolver isto... E seguir em frente mais leve.

    ResponderExcluir
  3. Você conquistará o seu espaço a pouco e pouco, é muito jovem e tem todo o tempo do mundo pela frente, não tenha receio. Penso que as mães (como eu) são possessivas, mas têm de aprender a deixar seus passarinhos voar, muito embora sempre queiram alisar suas penugens. Ganhe suas asas fortes e voe. Ela estará lá para te segurar no colo no seu primeiro tombo.
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Espero que consigas ultrapassar esta fase da tua vida! :)
    Qualquer coisa estamos aqui para te ouvir!
    Beijinho

    ResponderExcluir
  5. Ola amiga,
    tomo a liberdade de deixar um texto muito
    legal que talvez você possa aproveitar.
    Mães
    Ensinarás a voar ...
    Mas não voarão o teu voo.
    Ensinarás a sonhar ...
    Mas não sonharão o teu sonho.
    Ensinarás a viver...
    Mas não viverão a tua vida.
    Ensinarás a cantar ...
    Mas não cantarão a tua canção.
    Ensinarás a pensar...
    Mas não pensarão como tu.
    Porém, saberás que cada vez que voem, sonhem, vivam, cantem e pensem...
    Estará a semente do caminho ensinado e aprendido!
    Madre Teresa de Calcutá

    Beijos, Feliz dia!

    ResponderExcluir
  6. És mais forte que qualquer coisa! E vais ver que vais superar tudo, muita força neste momento menos bom, e estamos aqui para tudo

    ResponderExcluir
  7. Claramente a passar por um período mais conturbado na sua vida.
    É só isso, um tempo que passará.

    ResponderExcluir
  8. Hoje é o dia de quem está onde tantas vezes não está mais ninguém! Hoje é o nosso dia: Feliz Dia Internacional dos Enfermeiros

    ResponderExcluir
  9. Espero que consigas ultrapassar esta fase na tua vida.
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  10. Se for um texto de cariz pessoal, Sara, espero sinceramente que consigas ultrapassar a situação... pois, como diz um autor das minhas preferências, no momento... o que dói, não está certo...
    Talvez a distância seja a solução mais saudável, para ambas... se o morar perto... nada resolve, nem fortalece os laços afectivos...
    Bjs
    Ana

    ResponderExcluir