domingo, 26 de junho de 2016

Uber: o outro lado


Conversando sobre Uber durante os últimos dias, tirei algumas conclusões. Para formar minha percepção sobre esse meio de transporte, busquei mais informações da empresa e encontrei essa mensagem na sua página da rede social Facebook.

Filipe Teixeira Poxa, minha esposa pegou um serviço de transporte desse, esqueceu um objeto no carro,.. e acabamos de descobrir, que não tem a possibilidade de reaver o objeto pois a empresa, não consegue realizar uma simples ligação para o motorista supostamente registrado... essa mensagem estará sendo colada em todas as redes sociais, Uber nunca mais!!!! Só amarelinho!!! O barato sai caro!!!!

Fiquei mais assustada do que estava. COMO A UBER NÃO CONSEGUE ENTRAR EM CONTATO COM O MOTORISTA QUE SUPOSTAMENTE DEVERIA TER UM CADASTRO DETALHADO NA EMPRESA?

Nunca usei a Uber por um simples motivo: medo. Eu não consigo me imaginar, ainda, entrando num carro sozinha que não tem nenhuma identificação, e supostamente uma empresa, de aplicativo, me disse que posso confiar. Eu vivo no Brasil onde violência corre solta, queridos.

Longe de mim ficar defendendo taxista comum (já passei por cada uma...), mas pelo menos eles são legalizados, tem um sindicato, passam por vistorias do Estado, pagam altas taxas para manter o táxi e por conta disso o preço é mais caro. Tudo é cobrado! Então eu consigo compreender, até o momento, que eu estou pagando por uma segurança minima, onde eu não consigo encontrar num carro particular que qualquer cidadão pode começar ser motorista e que na visão do Estado vive na clandestinidade.

A Uber é a ideia de serviço de carros particulares de uma empresa Norte Americana que foi tomando conta do mundo todo. Estamos falando de uma empresa dos Estados Unidos da America, aquela mesma da Maçã Cinza. E seu capitalismo na veia. Ok, ok... parei.

Estamos falando de uma empresa que vista o lucro (Uber) e um espaço que foi historicamente sendo construído (o táxi comum). Pra mim, honestamente, facilmente essa empresa irá deixar passar várias falhas desse suposto motorista para ganhar mais dinheiro. E o táxi comum é o Estado que "toma conta". E o Estado, para quem não lembra, presta serviço para o cidadão e sua segurança.

Não tenho carro e pego, normalmente, táxi comum por um simples motivo: chegar num local em segurança, e sabemos que esse "luxo" da segurança é uma fortuna! (sdds México). Sou uma mulher cisgenera vivendo numa das cidades mais violentas do meu país - e eu ainda saiu na rua, todos os dias, com medo de ser mais uma vitima do feminicio, então eu busco todos os meios que me deixe mais segura. E infelizmente eu preciso pagar mais caro por isso.

Até o prezado momento ninguém conseguiu me convencer que pagar 30% mais barato na corrida (ou 50% sei lá!), com esse contexto que detalhei, valesse mais a pena que colocar meu corpo em risco.

7 comentários:

  1. Essa é a verdadeira roubada....
    Eu utilizo táxi comum... por tudo isso que você falou!!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu já utilizei UBER em Lisboa (sou português),Berlim, NY, Londres sempre correu da mesma forma...5*, sem qualquer problema, o mesmo não posso dizer da minha experiência em táxis convencionais.

    Beijinho e boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Sobre este assunto ainda vai correr muita tinta, como é costume dizer-se... Gostei de ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Sinceramente nunca utilizei UBER, mas o que descreveu pôs-me a reflectir sobre o assunto.

    Um beijinho grato

    ResponderExcluir
  5. Nunca andei de uber, mas também é uma coisa que eu tenho receio :o

    ResponderExcluir
  6. Nunca usei Uber mas o "feedback" que tenho recebido é de um serviço top.

    ResponderExcluir