quinta-feira, 20 de outubro de 2016

mãe


Talvez se você tivesse ao meu lado, eu tivesse plena naquela relação. Talvez, se a gente tivesse conversado sobre o assunto, eu tivesse outras ideias no momento. Talvez... Eu precisei de você quando meus velhos sonhos escaparam dos meus dedos. Se você tivesse me aconselhando, talvez tivesse funcionado. Afinal, não é esse o papel das mães?

Não foi você que me perguntou se era uma mulher quando conversamos? Se não fosse para você... para quem eu iria contar? Posso contar nos dedos às vezes que te encontrei no ultimo ano, e isso é deprimente. Ainda não entendo sua necessidade de se abastar de mim... e nem entendo quando você me liga dizendo que sente saudade.

7 comentários:

  1. OI!

    dá pra sentir toda a saudade e confusão que você expoe no seu post de hoje. Não sei o que aconteceu com vocês, mas... acho que um reencontro seria mesmo necessário pro seu coração.

    beijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir
  2. meu coração está em pedacinhos por você
    tô te mandando muita força e equilíbrio
    e se tem uma coisa que eu aprendi passando por uma situação parecida com essa, é que a gente tem força, sim, que quando a gente precisa, a gente arruma tanta que até sobra e que pela gente só tem a gente
    um abracinho apertado
    fica bem <3

    ResponderExcluir
  3. sinto por vc... sinto por sua mae não estar proxima, o que é pior, por não QUERER estar próxima, talvez devessemos entende-la, talvez devessemos perdoa-la, mas acho que o mais certo é que ela nao devia esquecer que ela é a mae!

    ResponderExcluir
  4. Uma pena aquilo que transmite.
    Boa semana

    ResponderExcluir
  5. Por vezes há pessoas assim, Sara!
    Mal resolvidas por dentro... afectando os outros com seus problemas...
    Poderá ser mais forte que elas também! E quando é assim... mais vale não culpabilizar ninguém... melhor relativizar e aceitar... e seguir em frente... o que também contribuirá, para nos aceitarmos melhor a nós mesmos... e ficarmos felizes por não conseguirmos ser assim...
    Tal também contribuirá para uma carga bem mais leve, sobre os nossos ombros... pois teremos sempre tendência a pensar que uma parte da culpa de tal acontecer poder ser nossa... e na grande maioria das vezes, nunca o é...
    Melhor relativizar... aceitar... perdoar-mo-nos a nós e aos outros... e simplesmente seguir em frente e em paz...
    Beijos
    Ana

    ResponderExcluir
  6. Pior minha mãe que teve 10 filhos e no meio da prole tinha euzinha!

    ResponderExcluir