segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

coração vermelho



"Ontem conversava com um amigo, que é revoltado como eu..." disse meu tio, no almoço de uma segunda-feira quente em Recife. Conversamos por horas sobre a política brasileira e mundial depois de muitos meses sem nos encontrarmos.

Chegar em Recife é renovar as energias. É falar de política enquanto tomo uma cerveja com as amigas ou na mesa do café da manhã com meu primo. FORA TEMER! Chegar em Recife é escutar música de raízes africanas e ao fundo um monumento de um negro - escravo - quebrando as correntes. Onde mais eu poderia me sentir tão em casa?

Chegar em Recife é participar do mesmo evento que um ex-namorado tocava - depois de quase 10 anos sem nos encontrarmos - e lembrar com muito carinho de toda nossa história. "Você deveria participar com a gente!" disse antes que eu fosse embora.

Chegar em Recife... é chegar em casa sem medo.
Chegar em Recife é escutar meu idioma na boca de todo mundo e ficar orgulhosa do sotaque.
Chegar em Recife...é recordar os bons momentos mesmo sabendo que eles nunca vão voltar.
Chegar em Recife é uma eterna mistura de sentimentos.

"¿Qué culpa tengo yo de tener la sangre roja y el corazón a la izquierda?"

5 comentários:

  1. Que texto gostoso de se ler <3

    Beijos
    https://pimentasdeacucar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. É ótimo estar onde se sentimos bem *-*
    bjs linda.

    ResponderExcluir
  3. estar onde nos sentimos bem, é do melhor

    ResponderExcluir
  4. Nada melhor do que estarmos em um lugar que nos faz ter boas lembranças! ♥
    Beijos, Aline
    Verso Aleatório

    ResponderExcluir