sábado, 7 de janeiro de 2017

teu rio, teu meio

Olinda continua linda, com suas ladeiras coloridas, a Skol quente e à noite de sábado que ainda nem começou. O cheiro continua igual, a ânsia pelo Carnaval sentimos em cada passo. O bloco na rua anuncia alguma comemoração enquanto eu aproveito da arquitetura. Os quatro cantos cheio de gente, a Praça do Carmo com seu maracatu... Talvez a saudade que invadia tanto meu peito tenha diminuído com tantos sons.

O cheiro de urina e o medo ao passar às 21horas na ponte que leva a Livraria Cultura continuam iguais. Recife. Tomar uma cerveja na Rua da Moeda nunca foi tão nostálgico. Entre o sol da Boa Vista e um café, eu penso como fui maquiando minha cidade. Recife, com essa beleza política e a gente nesses conflitos?! Como te explicar? Como te desenhar?


Recife. 2017. *todos os direitos reservados.

Te desenho a partir do Mercado da Boa Vista, com um copo de cerveja na mão, agradecendo por você permanecer no mesmo lugar. Tuas avenidas, tuas pontes, teus rios. Existe uma vontade de ficar e um desejo de ir. E ficar é nesse sentimento louco que jamais ninguém vai explicar.

Recife, você fudeu meu coração!

3 comentários:

  1. Memórias vivas, plenas de energia contagiante...!

    Um beijinho :)

    ResponderExcluir
  2. Não conheço a cidade.
    Mas parece linda.
    Boa semana

    ResponderExcluir
  3. Palavras de quem gosta do "seu lugar"...
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir