segunda-feira, 31 de julho de 2017

A Louca!

"No começo, eu não compreendia como eu podia ser essa personagem tão comentada e que tem tantas faces. Essa personagem de novela, de comercial, que é chacota entre os amigos, que nenhuma mulher no mundo quer ser: a louca.

Os motivos que te mostram que você está louca são os mais variados possíveis. Falar alto em público a minha opinião sobre determinado assunto me fez virar a louca que fala alto demais. Meu olhar de reprovação para o comentário machista do meu namorado me fez ser a louca que vê problema em tudo. Minha inquietação ao ver uma amiga sendo assediada na balada me fez ser a típica louca histérica, dessas que empurra o cara sem noção que chega pegando e é olhada por todo mundo da balada como uma pessoa horrível.

(...)

Dizem que loucos têm momentos de lucidez. Talvez esse seja o meu. Talvez eu não fosse louca, no final de tudo. Talvez eu só fosse ingênua de acreditar que um cara qualquer podia me colocar dentro dessa caixinha.

Caí em mim: minha personalidade, que você chamava de loucura, fica. Sua manipulação, baseada no seu ideal de mulher perfeita, sai. E até nunca mais."

Trecho do texto "Ele me fez acreditar que eu era louca!" de Giovana Salles.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

eu te venero

Eu te amei todos os minutos na última hora. Nosso mundo é confuso e eu ainda estou pela metade. Será que é dessa vez que você vai me encarar com serenidade?

Às vezes ainda é difícil acreditar que ainda andamos juntos, outras é impossível caminhar sem tua presença e a dança do bolinho.

Eu te amo e te venero, meu pequeno poço de sabedoria

Eu te venero quando você coloca sua cabeça na minha barriga, quando teu cabelo enroladinho me oferece abrigo. Eu te venero quando te consumo com os olhos, te beijo na porta da casa das minhas tias, nas curvas que formam seu corpo.

Sim,
eu te venero!

segunda-feira, 3 de julho de 2017

domingo. 20 horas.

Telefone toca.

- Oi Mãe!
- Filha você faz a compra de mês onde? Encontrei um supermercado onde tudo é mais barato. Lá tem pão, delicioso, por 2 reais, daqueles de caixa, imagina só.

Estamos na mesma cidade.
É, acho que virei adulta. Não tem jeito!